OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

No outro dia, Gregório estava na sala que fora de Carla e, inspirado, sacou da sua pasta livros do romancista Jonathan Franzen: “As Correções“, “Tremor“, “Liberdade” e “Como Ficar Sozinho“. Perguntado se aquelas obras constavam da lista de livros obscuros do mês, o professor disse que não. Esclareceu que iria dar uma aula sobre a …

Continue reading

Não te lembras do capítulo anterior? Podes lê-lo aqui! Jurema-Brigitte ou Brigitte-Jurema não estava bem. Recorrera ao psiquiatra, atormentada pela fala final do marido, que, educadamente, disse que ela se tratava de uma pessoa fútil. Dopada com Lexotan, reuniu-se com amigas na parte da tarde para tratarem de um bazar beneficente. Como é mister nessas …

Continue reading

A cidade amanhece, levanta, estuda, trabalha, fica à toa, descansa, alimenta, deita e dorme. São ónibus lotados que levam trabalhadores de periferia ao grande centro comercial, são empregadas domésticas que levantam tão cedo que, quando chegam para preparar o café da manhã dos filhos da família abastada, na correria dos preparativos e dos pormenores, vislumbra …

Continue reading

“O Quarto em forma de bunker” é a continuação do conto da semana passada, “O Beijo“. Carla possuía cabelos escuros e médios, qualquer maquiagem em tom mais escuro dava a ela uma aparência dark e distante. Silenciosa, perspicaz e observadora, crescera como toda criança de alta classe, apesar de salvaguardada por seu pai que desejava …

Continue reading