OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

“Existo. É suave, tão suave, tão lento. E leve: dir-se-ia que isso flutua no ar por si só. Mexe-se. São leves toques, por todo lado, toques que se dissolvem e se desvanecem. Suavemente, suavemente. Há uma água espumosa na minha boca. Engulo-a, ela desliza pela minha garganta, me acaricia – e eis que renasce na …

Continue reading

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas…” Aos leitores do Barrete, uma explicação …

Continue reading

O filósofo Roger Pol-Droit, ao entrevistar Michel Foucault (1926-1984), perguntou como ele se definiria. Psicólogo? Historiador? Filósofo? Foucault riu e respondeu ser um “pirotécnico”. Indefinível cidadão, isso é certo, mas Foucault foi o estandarte da inteligência francesa no mundo pop (na melhor aceção da palavra, a da filosofia pop deleuziana), substituindo o também pirotécnico Jean-Paul …

Continue reading

O livro “Camus e Sartre: O polémico fim de uma amizade no pós-guerra” (Editora Nova Fronteira, 2004, 399 p.) de Ronald Aronson, é mais do que uma biografia partidária e mexeriqueira tratando de coisas pequenas. Jean-Paul Sartre (1905-1980) e Albert Camus (1913-1960) foram dois pesos pesados da literatura/filosofia/política francesa no século XX. Dois intelectuais muito …

Continue reading

“Quando uma mulher está perdida, não lhe resta senão arranjar um filho” “A Idade da Razão” O romance “A Idade da Razão” (Abril Cultural, 1972, 367 p.), de Jean-Paul Sartre (1905-1980) é o primeiro da trilogia que se segue com “Sursis” e “Com a Morte na Alma“, tudo perfazendo “Os Caminhos da Liberdade“. Mas a …

Continue reading