OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

“Hoje, mamãe morreu. Ou talvez, ontem, não sei bem. Recebi um telegrama do asilo: ‘Sua mãe faleceu. Enterro amanhã. Sentidos pêsames’. Isso não esclarece nada. Talvez tenha sido ontem. O asilo de velhos fica em Marengo, a 80 quilómetros de Argel. Vou apanhar o autocarro às 2 horas e chego ainda à tarde. Assim, posso …

Continue reading

Quem acompanha meus textos aqui no Barrete já deve ter percebido o quanto gosto dos escritos de Albert Camus (1913-1960), o franco argelino que escreveu ensaios, romances, peças teatrais, investigações filosóficas, reportagens jornalísticas, entre outras coisas, e que foi laureado com o Prémio Nobel de Literatura. Livros bons não faltam: “O Estrangeiro“; “O Mito de …

Continue reading

O capítulo anterior aqui. Tarde da noite no escritório. Frederico sabe que será preso. Virando copos de uísque, intenta esquecer, pelo menos naquela noite. Como começou? Atoleiro. Areia movediça. Reflete: “Quando se está no atoleiro, qualquer coisa que fazemos só nos faz afundar mais e mais. O negócio é ficar parado”. Será que a Polícia …

Continue reading

O livro “Camus e Sartre: O polémico fim de uma amizade no pós-guerra” (Editora Nova Fronteira, 2004, 399 p.) de Ronald Aronson, é mais do que uma biografia partidária e mexeriqueira tratando de coisas pequenas. Jean-Paul Sartre (1905-1980) e Albert Camus (1913-1960) foram dois pesos pesados da literatura/filosofia/política francesa no século XX. Dois intelectuais muito …

Continue reading

Este conto é precedido pela história “Ativismo Feminista“ Andreia sempre foi de personalidade forte. Forte demais. Impossível discutir com ela sem levar desvantagem. Bem, pelo menos foi assim até o falecimento da mãe. Foi aí que a coisa mudou de rumo. Filha de Cecília, seus dilemas existenciais percorreram desde a mais tenra idade até a …

Continue reading