OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

É impossível esquecer, ou até ignorar, a influência do grupo britânico Monty Python no cinema moderno, quer pelo seu humor quer pela construção/montagem muito peculiar das suas obras. Estamos em 1979 e na bagagem o grupo composto por Graham Chapman (1941-1989), John Clesse, Terry Gilliam, Eric Idle, Michael Palin e Terry Jones (1942-2020), já trazia …

Continue reading

O livro “Camus e Sartre: O polémico fim de uma amizade no pós-guerra” (Editora Nova Fronteira, 2004, 399 p.) de Ronald Aronson, é mais do que uma biografia partidária e mexeriqueira tratando de coisas pequenas. Jean-Paul Sartre (1905-1980) e Albert Camus (1913-1960) foram dois pesos pesados da literatura/filosofia/política francesa no século XX. Dois intelectuais muito …

Continue reading

Arthur projetou, batalhou, divulgou e promoveu o seu primeiro café filosófico. No Pátio Savassi, na Leitura, ficou ansioso e na expectativa para a chegada do público naquele primeiro evento. Gregório foi o primeiro a chegar. Andreia chegou com um acompanhante, que vieram a saber depois, era o seu namorado oriundo do encaminhamento do pastor. Ela …

Continue reading

No outro dia, Gregório estava na sala que fora de Carla e, inspirado, sacou da sua pasta livros do romancista Jonathan Franzen: “As Correções“, “Tremor“, “Liberdade” e “Como Ficar Sozinho“. Perguntado se aquelas obras constavam da lista de livros obscuros do mês, o professor disse que não. Esclareceu que iria dar uma aula sobre a …

Continue reading

Não te lembras do capítulo anterior? Podes lê-lo aqui! Jurema-Brigitte ou Brigitte-Jurema não estava bem. Recorrera ao psiquiatra, atormentada pela fala final do marido, que, educadamente, disse que ela se tratava de uma pessoa fútil. Dopada com Lexotan, reuniu-se com amigas na parte da tarde para tratarem de um bazar beneficente. Como é mister nessas …

Continue reading