OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Mergulhei nos estudos da vida e obra da grande dama da Literatura Brasileira, Lygia Fagundes Telles (1918-2022). Conheci-a há muito tempo, desde a década de 1980, nas minhas viagens a São Paulo. O primeiro encontro foi no Museu de Arte de São Paulo, numa Bienal. Quando ela entrou no salão, causou impacto. O seu brilho pareceu-me tão forte quanto o de uma estrela cintilante. Sua voz era clara, as frases desfiadas com inteligência e sensibilidade. Passamos a nos corresponder. Generosa, enviou-me livros autografados. Que emoção reler as dedicatórias: neste “Seminário dos Ratos“, “Para Raquel Naveira, agradecendo seu livro, este ‘seminário’ com o meu abraço de carinho e admiração, Lygia Fagundes Telles. Primavera de 92“.

Ler mais

Neste nonagésimo-sétimo podcast, Bernardo Freire, Diogo Passos e Tiago Ferreira regressam para discutir a sequela de “Enola Holmes“, neste caso, “Enola Holmes 2”. O realizador Harry Bradbeer dá assim continuação às aventuras e mistérios de Enola, baseados na séries literárias de Nancy Springer, contando o argumento com a participação de Jack Thorne, para além do próprio cineasta. No elenco as caras continuam bastante familiares, com Millie Bobby Brown a interpretar Enola Holmes, o seu famoso irmão Sherlock ao encargo de Henry Cavill, ou Louis Partridge como Tewkesbury – um personagem com uma clara evolução narrativa.

Ler mais

Ao longo da nossa vida são inúmeras as situações de desnorte, de um certo sentimento de desorientação perante o nosso presente com as quais temos de lidar. Muitas vezes isto acontece porque o próprio mundo se une no sentido de cobrir a nossa esfera de compreensão com pseudo-verdades, capazes de distorcer a nossa própria conceção da realidade. É perante este jogo que se depara Nicholas Van Orton (Michael Douglas), um banqueiro bem-sucedido com uma atitude algo discreta e bastante ponderada perante a vida.

Ler mais