OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Em “Uma questão pessoal” (Editora Companhia das Letras, 2003, 222 páginas), o romancista japonês Kenzaburo Oe apresenta-nos a história de Bird, um homem com os seus 27 anos, professor de um curso que gosta de tomar umas e outras, de apelido Bird, que está com a sua mulher no hospital à espera do primeiro filho, sendo que desde o início dá para sentir que ele preferiu a fuga de forma a escapar ao ambiente do hospital e da maternidade.

Ler mais

Perante a crença ou o ceticismo espiritual do indivíduo, os acontecimentos paranormais são encarados de formas completamente distintas. Aquele barulho suspeito no repouso do lar, ouvido pela noite dentro, faz com que alguns rezem o terço e sintam que é pouco, enquanto outros referem a pronto que é preciso chamar o canalizador. Ambas as reações são válidas e como “The Conjuring – A Evocação“, título em português, é baseado em factos reais podem, de certo, influenciar a forma como interpretam a matéria obscura da narrativa. Salvo, no entanto, que se a condição humana é possuída por algo, esse algo é uma tremenda dose de incerteza.

Ler mais

Que triste é a pena de desterro, de exílio, de banimento. A expulsão da pátria que amamos para um lugar de solidão, de isolamento, de retiro ermo. Passar de um estado para outro é assustador. Principalmente aquele hiato que é o tempo de nos instalarmos numa nova realidade, como o peregrino que finca uma tenda no deserto. Não quero baixar muito o meu pensamento, nem ter desejos desmedidos. Quero apenas, esta noite, observar as chamas da fogueira e aquecer o meu coração.

Ler mais

Faleceu a 30 de abril deste ano na cidade de São Paulo, António Ferreira Paim, filósofo e o principal historiador da filosofia brasileira até aos nossos dias. António nasceu a 7 de abril de 1927, em Jacobina, na Bahia e dedicou-se ao estudo da História das Ideias, Política e Filosofia, campos em que se defrontou com inúmeros problemas, sendo autor de uma obra extensa e variada. Na década de 1950 cursou Filosofia na Universidade Lomonosov, em Moscovo, e, posteriormente, fez novamente o curso na Faculdade Nacional de Filosofia, no Rio de Janeiro.

Ler mais