O BARRETE

Porque A Arte Somos Nós

Tive ocasião de assistir ao vivo ao concerto dado pelos GNR na passada sexta-feira no Coliseu do Porto, no âmbito da iniciativa promovida pelo Banco Montepio a propósito do dia de S. Valentim: “Festival Montepio – Às Vezes O Amor”. Ao longo dos anos de existência da banda nascida na cidade Invicta em 1980, fui assistindo …

Continue a ler

Depois de tudo o que é possível aprender com Andrew Hill e Thelonious Monk, surge Herbie Hancock para uma nova reformulação. De 1964 a 1973, Herbie teve uma das carreiras mais consistentemente criativas que o jazz já viu. Se Herbie tivesse parado de gravar naquela altura, este continuaria a ser considerado um dos lendários génios …

Continue a ler

Embora “Monk’s Dream”, lançado em 1963, não tenha sido um ponto de viragem na carreira artística de Thelonious Monk, foi certamente um marco importante na aceitação pública do músico e do seu trabalho. Tendo acabado de assinar com a Columbia Records, a fama de Monk estava a alcançar as suas habilidades. Embora o álbum tenha …

Continue a ler

A música popular brasileira, mais conhecida como MPB, tem, como qualquer estilo que nasceu num caldeirão de várias influências, intérpretes de todos os lados que a abordam e que, quase sem querer, revolucionam o género a partir de uma mistura muito pessoal e única de estilos. Como Chico Buarque, no início dos anos 70, fez …

Continue a ler

Portugal nunca foi um país inundado de prog-rock, provavelmente, porque o país estivera sob a Ditadura desde 1933. Mas uma das grandes estrelas pop nacionais, José Cid, fez do melhor prog-rock em meados do final da década de 1970, com os últimos esforços da sua antiga banda Quarteto 1111 e a sua obra prima a …

Continue a ler

Quando falamos de Steely Dan, a única coisa que nos ocorre é: perfeição. Em 1972, os músicos Donald Fagen e Walter Becker, que já se conheciam desde 1967 e que também já desenvolviam alguns trabalhos musicais juntos, decidiram fundar os Steely Dan, e apenas tinham em mente a realização de uma sonoridade distinta no (vasto) …

Continue a ler

“Aconteceu no Oeste” (1968) é um daqueles clássicos do cinema que estão inexoravelmente ligados à música. Como sempre, Sergio Leone trabalhou com Ennio Morricone na banda sonora de um dos seus westerns, e, novamente, é um casamento muito bem sucedido. A música altamente visual que Morricone compõe aqui faz com que o espectador experimente o filme …

Continue a ler

O grupo que se segue são os Animizmo, uma banda instrumental de prog/math rock curitibana. Este último estilo tem como características as batidas rítmicas atípicas, contraponto, ou riffs prolongados e dissonantes. Uma mistura entre o estilo progressivo e indie. Para dar o exemplo, imaginemos a junção entre King Crimson e compositores de música minimalista, como …

Continue a ler

É como se Angelo Badalamenti e David Lynch decidissem que a música do filme “Twin Peaks” (1992) precisava de ser ainda mais sexy e assustadora do que a banda sonora original da série. Como o filme é um animal totalmente diferente desta última, eles oferecem apenas breves fragmentos das melodias frequentemente usadas no programa. “Twin …

Continue a ler

Durante o início dos anos 70, Blaxploitation estava no auge com filmes como “Sweet Sweetback’s Baadasssss Song” (1971) e “Shaft, Mafia em Nova Iorque” (1971). Este género cinematográfico é conhecido por ser originalmente feito especificamente para um público negro urbano, pois a maioria dos filmes lida com bairros pobres, escravidão, miscigenação, rebelião e sexo. No …

Continue a ler