OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Embora esteja próxima de completar um ano de existência, a PlayStation 5 ainda se sente como uma grande novidade para os fãs de gaming, sobretudo para aqueles que preferem jogos de consola. Este sentimento, em parte, é explicado pela extrema dificuldade em adquirir a consola, muito ligada à falta de semicondutores a nível global, que …

Continue reading

Olhando para os dois primeiros jogos da série “Mafia”, é possível traçar várias características comuns entre ambos. São jogos com grande ênfase narrativa, situados em cidades fictícias americanas durante o século XX. O mundo criado está construído sob a forma de um mundo aberto, onde os jogadores são livres de explorar cidades altamente detalhadas e …

Continue reading

Desde há tempos algo longínquos que os videojogos pouca pressão têm para contar histórias transcendentes. Mesmo hoje em dia, estes raramente servem para expressar ideias com um significado profundo. Tudo o que sempre lhes foi pedido foi a capacidade de entreter, divertir e captar o interesse. Dada a interatividade que neles está impregnada, a chamada …

Continue reading

Antes de assentar a discussão no jogo que dá título ao artigo, importa refletir sobre uma problemática que inquieta inúmeros jogadores, desenvolvedores e apreciadores de videojogos em geral. Deve ou não um videojogo “dar a mão” ao jogador? Com este termo pretende-se incluir elementos tipicamente presentes em videojogos e que se prendem com a existência …

Continue reading

Ao jogar “Little Nightmares” é possível fortificar a opinião de que os videojogos de terror, quando comparados com filmes do género, podem ser considerados espadas de duas pontas. Se é verdade que os primeiros permitem ao jogador tornar a experiência mais personalizada e livre, para os desenvolvedores novos desafios são acarretados. A mais óbvia dificuldade …

Continue reading