OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

O cinema é um novo espaço onde conseguimos ir buscar significação. É quase que uma catarse múltipla e contínua da nossa alma, do nosso pensamento e até — ou talvez sobretudo — daquilo que está obscuro em nós. Perante aquela bonita ideia de que não há cinema sem literatura, sem um guião, sem um argumento, …

Continue reading

Neste clima onde todas as gravações pararam por causa desta situação pandemónica, em que situação fica a sétima arte? Apesar de tudo, este regime incentivou – não havia alternativa – a população a “consumir” conteúdo cinematográfico “antigo”. Tudo isto, portanto, surgiu como uma oportunidade de reflexão, de caminho espiritual, de encontro (do Eu com a …

Continue reading

A arte vive e sobrevive de contextos, e resulta de uma tentativa lúcida e humilde de contar uma verdade, fugir à rotina, à realidade, ao mundo. Tanto quer fugir do mundo como o descrever, e numa altura como esta de caos, será que a arte (cinema, música, pintura, etc.) é a resposta? Claro que, neste …

Continue reading

Hoje em dia, a meu ver, o cinema pode estar a entrar numa espiral perigosa. Se por um lado temos praticamente toda a “informação” ao nosso alcance, a verdade é que estamos a aceitar uma possível saturação e desaproveitamento da experiência como um todo. Eu explico: se podemos “ver o que quisermos onde quisermos”, também …

Continue reading

O Cinema é visto como uma transformação das ideias em imagens visuais. Mas não se resume a essa transposição. Ele próprio convida o espectador a fechar os olhos para assistir a um filme. É um apelo à visão interior, é uma viagem própria, identitária do Eu, que capta a realidade e lhe dá significância. Para …

Continue reading