OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

O trabalho deixado por um dos artistas mais marcantes da história da música é um mar sem fim à vista, pelo que falar apenas de 10 temas não é tarefa fácil, contudo vamos tentar dar o nosso melhor. Nascido na Tanzânia a cinco de setembro de 1946 com o nome de Farrokh Bulsara, o ex-vocalista dos Queen teria um percurso algo conturbado até chegar ao sucesso, mas o seu esforço veio mostrar ao mundo que o talento sempre prevalece. O primeiro álbum da banda britânica só veria a luz do dia em 1973, contudo Freddie Mercury – nome artístico – brindaria-nos com músicas como Bohemian Rhapsody, Killer Queen ou Living On My Own, até ao ano da sua morte, em 1991.

1.º Seven Seas Of Ryhe, “Queen II” (1974)

Um dos primeiros temas escritos por Mercury, este já estava incluído no primeiro álbum da banda, “Queen” (1973), mas numa curta versão instrumental. Com as novas técnicas de estúdio, a banda desenvolveu o seu som e experimentou novas técnicas de gravação, sendo Seven Seas Of Ryhe um excelente exemplo. Com coros, overdubs, e uma entrada de piano inconfundível, este é o primeiro grande êxito da banda – que lhes valeu a primeira aparição no programa Top Of The Pops, em 1974.

Queen – Seven Seas Of Ryhe


2.º I Was Born To Love You, “Mr. Bad Guy” (1985)

Do seu álbum “Mr. Bad Guy”, esta é um dos temas na carreira a solo de Mercury que mais sucesso teve na América, alcançando o Top 100 da Billboard. Mais tarde revisitado no álbum póstumo “Made In Heaven” (1995), dos Queen, a música ganhou um novo alento e continua a ser a versão mais “conhecida”. Como Mercury admitiu, “Eu sou um verdadeiro romântico”.

Freddie Mercury – I Was Born To Love You


3.º Somebody To Love, “A Day At The Races” (1976)

O tributo de Freddie Mercury a Aretha Franklin, uma artista que o cantor admirava e respeitava. Uma espécie de Bohemian Rhapsody do álbum que se seguiu a “A Night At The Opera”, Somebody To Love é um dos hinos dos Queen. A música foi inspirada no gospel e presenteia-nos com coros inconfundíveis, com destaque para os agudos do baterista Roger Taylor. A prestação vocal de Mercury é irrepreensível, tendo mais tarde a música ficado imortalizada também pela voz de George Michael – interpretação no concerto de tributo a Freddie, em 1992.

Queen – Somebody To Love

Freddie Mercury ao vivo em 1977

4.º There Must Be More To Life Than This, “Mr. Bad Guy” (1985)

Esta foi gravada durante as sessões para o álbum “Hot Space”, em 1982, na qual participaria também Michael Jackson. Mesmo existindo uma versão com a colaboração de Jackson, o tema acabou por não constar no álbum dos Queen, tendo sido regravado por Freddie Mercury para o seu projecto a solo. Esta é uma melodia mais sentimental, inspirada na escrita de John Lennon, do qual Freddie era fã. Acerca da letra, o cantor afirmou que “é o mais próximo que quero ir em termos de políticas mundiais ou desastres que estão a acontecer pelo mundo.

Freddie Mercury – There Must Be More To Life Than This


5.º Killer Queen, “Sheer Heart Attack” (1974)

Um clássico que valeu à banda a sua mais famosa aparição no Top Of The Pops, com um Freddie Mercury visualmente provocante a dar vida ao primeiro grande sucesso da banda nas tabelas de vendas. Segundo o cantor, Killer Queen foi das poucas músicas onde a letra surgiu primeiramente à parte instrumental. O tema valeu a Mercury o primeiro de dois Ivor Novello Award (1975), pela British Academy Of Songwriters, que reconhece os escritores de música mais talentosos da Grã-Bretanha e da Irlanda.

Queen – Killer Queen


6.º Barcelona, “Barcelona” (1988)

O famoso dueto com a espanhola Montserrat Caballé foi o hino dos Jogos Olímpicos de Barcelona em 1992, evento no qual Freddie Mercury iria interpretar a canção com a soprano, não tivesse este falecido um ano antes. Com uma letra escrita por Mercury e Mike Morgan, esta espelha a admiração do cantor, não só pelo trabalho, mas também pela própria Montserrat Caballé. “The moment that you stepped into the room /
You took my breath away”

Freddie Mercury & Montserrat Caballé – Barcelona


7.º Don’t Stop Me Now, “Jazz” (1978)

Uma das músicas mais conhecidas dos Queen, escrita por Mercury, chegou mesmo a ser considerada pelos fãs da banda como sendo a canção com a “melhor letra de sempre”. Esta foi também considerada por um estudo britânico como a música mais feliz da história . A verdade é que é quase impossível ficar indiferente à melodia de Don’t Stop Me Now, uma música mexida e eufórica. “I’m a racing car, passing by like Lady Godiva / I’m gonna go, go, go / There’s no stopping me“.

Queen – Don’t Stop Me Now


8.º Living On My Own, “Mr. Bad Guy” (1985)

Um tema de importante destaque nesta lista, pois retrata uma fase da vida do artista importante. Quer seja a nível artístico, quer seja a nível pessoal, onde as grandes festas caracterizavam o estilo de vida de Mercury. A letra da canção é bastante explícita, acompanhada por uma traço de personalidade muito vincado. Esta é uma espécie de tributo a Ella Fitzgerald. Como o cantor afirmou “se ouvirem Living On My Own, é muito eu”. Obrigatória.

Freddie Mercury – Living On My Own

Freddie Mercury ao vivo nos anos 80

9.º A Winter’s Tale, “Made In Heaven” (1995)

Música e letra compostas por Freddie Mercury, esta foi lançada já pós-morte do artista. Escrita na altura das sessões do álbum “Innuendo” (1991), esta descreve a paisagem que Mercury via através da janela da sua casa em Montreux, na Suiça. A canção foi mais tarde acabada por Brian May, pois a meio do processo criativo, o vocalista teve de fazer uma pausa que se revelou ser eterna. É um dos temas mais sensíveis da banda, onde podemos ouvir o último esforço do homem que nunca desistiu de criar e cantar. Com uma melodia simples, esta foi a última gravação de estúdio de Freddie Mercury.

Queen – A Winter’s Tale


10.º Bohemian Rhapsody, “A Night At The Opera” (1975)

Tinha de ser. O ex-líbris da carreira de Freddie Mercury e dos Queen, mas com principal foco no cantor, pois esta é uma “mini-ópera” orquestrada do início ao fim pelo mesmo. Considerada umas das melhores músicas do século XX, Bohemian Rhapsody contém melodia, drama, ópera, rock, aventura, e até um gongo. Mais recentemente, esta deu título à mais recente biografia cinematográfica da banda, tendo vencido o Globo de Ouro por Melhor Filme Dramático. Já Rami Malek, que interpretou Freddie Mercury, venceu o Óscar de Melhor Ator. “‘Rhapsody’ é uma das músicas que tem um sentimento de fantasia associado à mesma” – Freddie Mercury

Queen – Bohemian Rhapsody

Se queres que OBarrete continue ao mais alto nível e evolua para algo ainda maior, é a tua vez de poder participar com o pouco que seja. Clica aqui e junta-te à família!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: