OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Contigo aprendi coisas tão simples como

a forma de convívio com o meu cabelo ralo

e a diversa cor que há nos olhos das pessoas

Só tu me acompanhastes súbitos momentos

quando tudo ruía ao meu redor

e me sentia só e no cabo do mundo

Contigo fui cruel no dia a dia

mais que mulher tu és já a minha única viúva

Não posso dar-te mais do te dou

este molhado olhar de homem que morre

e se comove ao ver-te assim presente tão subitamente

Ruy Belo

Pintura de Egon Schiele, “Mulher Sentada com Joelho Dobrado” (1917)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: