OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

“A Swedish Love Story” podia resumir-se a um drama adolescente que nos faz recuar ao passado e desejar que esses anos nunca tivessem acabado, que a vida realmente era bem mais simples, mas estaria a ser injusto à mestria do realizador sueco Roy Andersson. Ao contrário de certas recomendações acerca deste realizador, comecei esta minha …

Continue reading

“Pensar frequentemente e não conservar um só momento a recordação do que se pensa, é pensar de maneira inútil” Leibniz Aqui no Barrete já falei de René Descartes (1596-1650), Baruch Spinoza (1632-1677), dos filósofos empiristas ingleses e mais alguns personagens do século XVII. Pois bem, é chegada a hora de convidarmos para a discussão Gottfried …

Continue reading

Certa vez, um leitor perguntou-me o motivo das empresas de materiais desportivos serem aficionadas por listras. Tenho um conjunto da Adidas e sim, lá estão elas, tanto na calça quanto na blusa. No filme, em português, “Duelo de Irmãos: A História de Adidas e Puma” (Alemanha, 2016, 1 hora e 55 minutos, drama biográfico) com …

Continue reading

“Já contei que, aos quinze anos de idade, tirei o pau para fora das calças e toquei uma punheta num ónibus da linha 107, vindo de Nova Iorque?” “O Complexo de Portnoy” (Companhia de Bolso, 237 p.) de Philip Roth é um destes livros que vieram para incomodar. Publicado em 1969 nos Estados Unidos, o …

Continue reading

É com satisfação que tratarei aqui de mais um clássico do escritor russo Fiódor Dostoievski (1821-1881). Após “Os Irmãos Karamazov“, é chegada a hora de analisar “O Idiota” (José Olympio Editora, 440 p. e Companhia Aguilar Editora, 262 p.). O exemplar que tenho é clássico, permeado com algumas ilustrações e é do ano de 1955. …

Continue reading