OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

“Só vivo porque posso morrer quando quiser: sem a ideia do suicídio já me teria matado há muito tempo” Emil Cioran Preparem-se para pensamentos melancólicos. Para ideias desconcertantes. Para ideias que nos incomodam. Se forem de natureza macambúzia e com pouco senso de reflexão, sugiro que não se apercebam do filósofo romeno Emil Cioran, que …

Continue reading

“Se nos cai nas mãos um volume, por exemplo, de teologia ou de metafísica escolástica, perguntamo-nos: contém alguma argumentação abstrata sobre a quantidade ou os números? Não. Contém alguma argumentação experimental sobre questões de facto e existência? Não. Então, que seja jogado ao fogo, pois contém apenas sofismas e ilusões” David Hume (1711-1776) foi um …

Continue reading

O texto “Resposta à pergunta que é o esclarecimento” (Aufklärung) (tradução de Raimundo Vier em Textos Seletos, Petrópolis, Vozes, 1985, p. 100-117) de Immanuel Kant, propõe-nos uma questão interessante: o papel da razão foi diferentemente concebido entre franceses (Rousseau e Montesquieu, Condillac e os enciclopedistas); ingleses (Berkeley e Hume); alemães (Wolff, Lessing, Baumgarten, Kant); portugueses …

Continue reading

Baruch de Spinoza (1632-1677) foi a discrição em pessoa. De saúde frágil, falecido aos 44 anos, no pouco tempo em que esteve na Terra fez a diferença. E quanta diferença! Intelectual da mais alta estirpe, pensador nato, pertencia à comunidade judaica ortodoxa de Amsterdão (Países Baixos), cidade onde nasceu, e é certo que a sua …

Continue reading

Ao longo dos meus artigos filosóficos panorâmicos, podem ter percebido a ênfase que dou à dita Civilização Ocidental e, no tocante à Filosofia, é mister aventarmos que ela é notadamente europeia. Dois milénios e meio do dito pensamento racional surgiu em solo europeu e agora é chegada a hora de aventarmos a um cisma que …

Continue reading