OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Este é a continuação do conto “Estrangeirismo“. Seria muito difícil Márcia não se tornar a pessoa que era. Ativista feminista a partir de uma vida tão sacrificada e nojenta, na parte em que a figura masculina sempre exercia o poder com mãos de ferro, sobre a mãe e sobre ela mesma. Crescera no ambiente truculento …

Continue reading

As pessoas me questionam muito acerca da atividade de filósofo. Ainda bem que aquele cliché do filósofo ser um cara descabelado, com óculos fundo de garrafão e meio alheio às coisas práticas da vida caiu em desuso. Para quem consegue enxergar para além dos clichés, é importante elencar o filósofo como um pensador sobre problemas …

Continue reading

Durante a sua fala no Fórum das Letras de Ouro Preto, Brasil, há uns 8 anos, o poeta e filósofo (e se fosse enumerar aqui, encontraria tantas e tantas definições tal um Leonardo da Vinci), pois bem, o filósofo Affonso Romano de Sant’Anna discorreu sobre um amigo seu professor de Filosofia.

Antes mesmo de preparar o café para o esposo e seus dois filhos, Deborah ligou o computador e acessou o Facebook. As bolinhas vermelhas das atualizações estavam concorridas: seis mensagens, dez solicitações de amizade e trinta ocorrências que veria a seguir. Voltou a se ocupar do café, fazendo torradas, suco de laranja, colocando na mesa …

Continue reading

“O Quarto em forma de bunker” é a continuação do conto da semana passada, “O Beijo“. Carla possuía cabelos escuros e médios, qualquer maquiagem em tom mais escuro dava a ela uma aparência dark e distante. Silenciosa, perspicaz e observadora, crescera como toda criança de alta classe, apesar de salvaguardada por seu pai que desejava …

Continue reading