OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

É com satisfação que tratarei aqui de mais um clássico do escritor russo Fiódor Dostoievski (1821-1881). Após “Os Irmãos Karamazov“, é chegada a hora de analisar “O Idiota” (José Olympio Editora, 440 p. e Companhia Aguilar Editora, 262 p.). O exemplar que tenho é clássico, permeado com algumas ilustrações e é do ano de 1955. …

Continue reading

“Da mesma forma como provavelmente não haja, segundo os médicos, ninguém completamente são, também se poderia dizer, conhecendo bem o homem, que não há um só que esteja isento de desespero, que não tenha lá no fundo uma inquietação, uma perturbação, uma desarmonia, um receio de não se sabe o quê de desconhecido ou que …

Continue reading

Por detrás de uma das maiores obras de todos os tempos, “A Divina Comédia“, encontramos um grande escritor, poeta e político – Dante Alighieri. Este é considerado o maior poeta da língua italiana e, por isso, definido como il sommo poeta. Tal é a grandeza de Dante que a sua ilustre obra tornou-se a obra …

Continue reading

Todo movimento da História necessita de um certo distanciamento de modo a permitir a fria interpretação dos factos. Por ser um ensaio histórico, o livro “O Homem Revoltado” (Record, 351 p.) (“L’Homme Révolté“), do franco-argelino Albert Camus (1913-1960), publicado em 1951, justifica a sua leitura nos dias atuais, quer pela beleza de estilo, quer pela …

Continue reading

Fiódor Dostoiévski (1821–1881) é o que se pode chamar de um escritor completo. Completo e complexo. Em “Os Irmãos Karamázov” a literatura russa encontra o seu apogeu e transborda ao mundo a narrativa ampla, investigativa acerca das coisas da vida, dos amores e conflitos, etc. Mais que um escritor, Dostoiévski foi um psicólogo, mesmo que …

Continue reading