OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

O romance “Casei com um Comunista” (Companhia de Bolso, 1998, 373 p.), de Philip Roth, é um livro soberbo. Advirto de antemão que é bom conhecer um pouco a história dos Estados Unidos após o fim da II Grande Guerra, pelo menos ter uma noção do que foi o macarthismo na sua obsessão pela caça …

Continue reading

“Da mesma forma como provavelmente não haja, segundo os médicos, ninguém completamente são, também se poderia dizer, conhecendo bem o homem, que não há um só que esteja isento de desespero, que não tenha lá no fundo uma inquietação, uma perturbação, uma desarmonia, um receio de não se sabe o quê de desconhecido ou que …

Continue reading

“Todo o solo é plantado e um rio corta o vale. As árvores são verdes e estão cheias de frutas, as heras entrebordadas de flores e tudo é cheio de perfume como em Castela no mês de abril. É tão ameno o canto dos rouxinóis quanto o clima, e de todos os lados se ouvem …

Continue reading

“O homem comum, este produto industrial da natureza, tal como esta o apresenta diariamente aos milhares, é incapaz, ao menos de modo persistente, de uma observação em todo sentido inteiramente desinteressada: ele pode dirigir a sua atenção às coisas somente enquanto estas apresentam uma relação qualquer, mesmo que apenas mui mediatizada com a sua vontade” …

Continue reading

O filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770 – 1831) é um dos maiores expoentes do Idealismo alemão, um dos principais filósofos do século XIX e um dos últimos a elaborar um grande sistema de explicação dos problemas metafísicos da humanidade. Neste artigo panorâmico procurarei apresentar algumas de suas melhores contribuições para a História do …

Continue reading