OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Nesta análise, irei escrever sobre o livro “Quando Nietzsche Chorou” (Editora Ediouro, 406 páginas). Parece existir um ranço de catedráticos em Filosofia quando veem pensadores a ser romanceados ou a ser alvo de biografias. No primeiro caso, entendo ser saudável a iniciativa, desde que seja bem trabalhado e com notas de esclarecimentos em alguma parte …

Continue reading

O meio académico filosófico mais tradicional chia quando se depara com escritores que escrevem acerca da vida de um determinado filósofo (neste caso, Arthur Schopenhauer). Particularmente, não acredito haver problemas se levarmos em conta a caracterização de romance e não de biografia. Isso não chega a comprometer nada do legado desses grandes pensadores. Faz até …

Continue reading