OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Quando eu nasci,

ficou tudo como estava,

Nem homens cortaram veias,

nem o Sol escureceu,

nem houve Estrelas a mais…

Somente,

esquecida das dores,

a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,

não houve nada de novo

senão eu.

As nuvens não se espantaram,

não enlouqueceu ninguém…

P’ra que o dia fosse enorme,

bastava

toda a ternura que olhava

nos olhos de minha Mãe…

Sebastião da Gama

Pintura de Édouard Manet, “A família Monet no seu jardim em Argenteuil” (1974)

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: