OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

O nosso colaborador, escritor e filósofo Marcelo Pereira Rodrigues tem uma nova obra literária a caminho, e nada melhor do que o próprio a introduzir:

“Esta coletânea de contos faz parte de uma aventura. Cronista e romancista há 20 anos, decidi experimentar um novo género e nestas histórias curtas ficcionais, mas com o olhar investigativo acerca da natureza humana, fiz molde e me esmerei em pessoas reais, alterando os destinos, os diálogos interiores e em muitas passagens remeti a descrições narradas quando era criança, aquecendo-me do frio ao lado do fogão a lenha com as suas brasas e cinzas, sorvendo café com leite quente e um bom pedaço de broa de fubá. Mais mineiro, impossível.

Embora as histórias narradas aqui sejam ficcionais, agradeço à formação que a minha mãe, Conceição, me proporcionou. Não que fosse letrada, muito pelo contrário, mas gostava de se juntar às amigas para contarem histórias. O menino (este que vos escreve) ficava ali ouvindo, reclamando de quando era solenemente convidado a se retirar, pois a prosa enveredaria para temas adultos. A minha imaginação criativa ficava prospetando enredos, e hoje compreendo a pecha de mentiroso que tinha. O menino mentiroso que elaborava histórias brincava com destinos, comportamentos e ações. Portanto, não punam os seus filhos que porventura mentem. Quem sabe se transformarão em grandes escritores?

Ao findar o último conto, entendi que o conjunto produzido naquele mês estava pronto. Hora das revisões gramaticais e ortográficas e da apresentação de um deles, “O dia de folga”, para publicação. Um teste. De modo despretensioso, publiquei-o na Revista Conhece-te. Em duas páginas com uma ilustração, ao longo do mês de janeiro deste ano senti a repercussão. Leitores elogiaram, alguns mais do que simples amigos e investigaram se a história de acaso era real. Chance de responder o meu mantra elucidativo: “Pode ser que sim. Pode ser que não. Quem sabe, talvez.” Pareço Caetano Veloso, mas é apenas um entendimento de que entre a realidade e a arte, a verdade reside nesta última, como nos ensinou Oscar Wilde (1854-1900).

O escritor brasileiro Marcelo Pereira Rodrigues em Lisboa, Portugal

Surpreso com a repercussão deste primeiro conto, tive a felicidade de vê-lo traduzido para o espanhol e o inglês. No primeiro, apresentei-o em alguns concursos literários em Espanha e na América Latina. No segundo, ousei apresentá-lo à icónica revista The New Yorker e foi com grata satisfação que o vi publicado em duas revistas asiáticas: a revista Sindh Courier, do Paquistão e, traduzido do inglês para o uzbeque, na revista Nodirabegim. Foi também publicado na revista digital OBarrete, de Portugal. Advirto que tudo isto é verdade verdadeira, verificável na plataforma que desmente meninos mentirosos, o Google.

E qual não foi a minha surpresa ao receber o aceite da Caravana Editorial para a publicação do livro todo. Assim sendo, quero dividir com cada leitor as experiências e nossas trocas de sentimentos, prometendo remeter-vos a ficarem intrigados e curiosos ao virar de cada página. Metaforicamente, sintam-se na beirada de um fogão a lenha contando e ouvindo histórias. Desliguem os smartphones e vão ler o livro!”

Marcelo Pereira Rodrigues

Como se não bastasse, o nosso colaborador e poeta, Tiago Ferreira, escreveu o prefácio deste novo “O dia de folga”. Com a devida autorização, partilhamo-lo aqui:

“”O dia de folga”, de Marcelo Pereira Rodrigues, é um compêndio de histórias metafóricas e humanas, que — como um todo — permitem a extração de significados tão próprios da essência humana. As descrições longas — e, contudo, tão precisas e leves — permitem que a leitura seja de uma agradável fluidez, de tal forma que conseguimos entrar dentro dos nossos protagonistas. Partindo de assuntos “banais”, Marcelo Pereira Rodrigues tem a capacidade de tocar o coração do leitor, transformando a história, inicialmente simples, num ensaio sobre a nossa existência.

A capa completa do livro “O dia de folga”, de Marcelo Pereira Rodrigues

O ambiente que cria é bastante único e reconfortante, sendo a sua narração bastante visual e auditiva, o que permite que a absorção da mesma seja, continuamente, rica e completa. Além disso, a expressividade dos diálogos é de uma mestria tal que se torna muito fácil reconhecer em Marcelo Pereira Rodrigues um domínio acentuado na arte de contar histórias. A própria divisão do livro através de atos de significância temática transforma, novamente, todas as narrativas num conjunto alegre de introspeção e sentimentalismo profundo.

Todas as histórias acabam com um certo sinal de esperança, sem nunca, contudo, diminuir o realismo inerente à magia das suas histórias, a partir das quais Marcelo Pereira Rodrigues revela uma criatividade, uma maturidade e uma destreza literária tremendas. De facto, Marcelo Pereira Rodrigues consegue com “O dia de folga” dar, precisamente, um dia de folga às nossas mágoas e inquietudes mais supremas, no sentido em que permite canalizá-las para uma trajetória de crescimento, de amor e de superação.”

Tiago Ferreira

A todos os leitores de Portugal que porventura desejem adquirir o livro, poderão fazer as suas encomendas com um custo de 25 euros (já incluído os portes de envio do Brasil). Os pedidos devem ser feitos através do email oagenteliterario@gmail.com.

Um obrigado ao Marcelo Pereira Rodrigues por continuar a ser nosso colaborador, com muitas coisas boas pela frente, e muitos votos de sucesso para este seu novo trabalho, pois merece!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: