OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

O filme “Ouro“, de 2016, mostra-nos que quando queremos acreditar cegamente em algo, isso pode deturpar seriamente a nossa capacidade de raciocinar e inquirir de forma lúcida sobre essa situação.

A obra é um drama, realizado por Stephen Gaghan, inspirado numa história verídica, mostra-nos como Kenny Wells, um simples prospector americano (interpretado por Matthew McConaughey), a passar por problemas económicos, se junta ao geólogo Michael Acosta (Édgar Ramírez) numa exploração aurífera na floresta da Indonésia, onde fazem uma descoberta que iria mudar completamente as suas vidas.

“Ouro” apresenta alguns argumentos positivos, tais como a interpretação bastante inspirada do seu actor principal, cuja demanda inicial, e posterior luta para manter a sua descoberta e afastar todos os pretendentes à mesma, pode servir para captar o espectador para esta história. Isto, se a personalidade de Kenny que se mostra como alguém algo pateta, e com quem pode ser difícil ter alguma empatia, não tiver um efeito contrário. Nota-se, no entanto, a ausência de elementos que ofereçam um pouco mais de emoção à história.

Também positivo foi o facto de na parte final termos visto uma autêntica reviravolta no filme, que parecia que ia acabar de uma forma negativa para Kenny, o que acabou por não se verificar. Outro aspecto positivo presente neste filme, corresponde à banda sonora do mesmo, nomeadamente no que se refere à musica Gold de Iggy Pop e Danger Mouse (escrita para este filme), dentro de um estilo normalmente mais associado a Leonard Cohen, mas que encaixa perfeitamente com o filme.

Matthew McConaughey demonstra, mais uma vez, que se pode adaptar perfeitamente a diferentes personagens, realizando mais uma transformação física de destaque: se no passado havia perdido bastante peso para o papel que lhe deu um Óscar em “O Clube de Dallas” (2013), desta vez foi o oposto com o actor a ganhar cerca de 20 quilos para esta performance, tendo esta sido um dos aspectos de maior destaque para o filme.

Além das características referidas anteriormente, e apesar deste filme não ter muitos aspectos negativos, acaba por lhe faltar algo que lhe permita ter um maior destaque, e torne o visionamento do mesmo uma experiência a não perder. Talvez um maior desenvolvimento e presença das outras personagens, pudessem ter dado um maior contributo nesse sentido.

Pedro Maia

⭐⭐⭐

IMDB: https://www.imdb.com/title/tt1800302/?ref_=nv_sr_srsg_0

Rotten Tomatoes: https://www.rottentomatoes.com/m/gold_2017

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: