OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Na luz do desassossego

No jardim da alma

Encontro um mar de silêncio

Um paraíso de calma

Encontrei-me infinito

No amanhecer de mim

Nele nasci. Aprendi a ser

Foi o início do fim

Digo adeus ao que já não sou

Ao sol que me guiou

O pior já passou

E o sonho apenas começou

Deixo a vida intacta

Do que podia ser

Até ao infinito de mim

Sou. À espera de ter

O paraíso de mim

Tiago Ferreira

Podes adquirir um exemplar do livro do Tiago, “A Poesia que há em Nós”, aqui!

Pintura de Caravaggio, “Narciso” (1597-1599)

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: