O BARRETE

Porque A Arte Somos Nós

Depois de tudo o que é possível aprender com Andrew Hill e Thelonious Monk, surge Herbie Hancock para uma nova reformulação. De 1964 a 1973, Herbie teve uma das carreiras mais consistentemente criativas que o jazz já viu. Se Herbie tivesse parado de gravar naquela altura, este continuaria a ser considerado um dos lendários génios …

Continue reading