OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Com obras oriundas dos vários cantos do mundo, o Porto/Post/Doc propõe um calendário diverso e adaptado às necessidades de hoje com estreias nacionais, conversas, entrevistas a realizadores, sessões para famílias e uma academia destinada a pensar novas forma de produção de conteúdos realizada em parceria com o Canal 180.

Portugal, França, África do Sul, Laos, Espanha, Israel, Brasil, México, Argentina e Iraque são algumas das paragens propostas pela seleção da Competição Internacional. Um programa composto por nove obras de produção recente que traçam olhares sobre questões sociais e políticas um pouco por todo o mundo.

Histórias reais que nos levam pelo Bairro do Aleixo, a sua demolição e a forma como a sua comunidade resiste (“A Nossa Terra, O Nosso Altar“, de André Guiomar), pelas fronteiras entre o Brasil e o Uruguai na viagem de duas personagens de espectros políticos opostos em busca de José Mujica (“Partida“, de Caco Ciocler) ou pelas comunidades agrícolas e remotas das montanhas argentinas, terra em colisão entre o humano e o divino, o térreo e o místico (“Piedra Sola“, de Alejandro Telémaco Tarraf).

“A Nossa Terra, O Nosso Altar”

Histórias em migração que nos trazem novas pistas sobre as relações emergentes entre a África e a China (“Days of Cannibalism“, de Teboho Edkins), a forma como as crianças de uma vila nas montanhas perto de Mosul revivem um século da história do Iraque para compreender o seu presente (“Sandlines, The Story Of History“, de Francis Alÿs), e as vinhetas sobre a vida quotidiana palestiniana sob ocupação israelita (“Of Land and Bread“, de Ehab Tarabieh).

Histórias compostas de afetos como as de Xana, France, Hugo e Nadine em volta do lago Nam Ngumat (“Goodbye Mister Wong“, de Kiyé Simon Luang), da rendição ao amor como proposto no texto “Bucólicas” de Virgílio (“Amor Omnia“, de Yohei Yamakado) ou do que se revela num diário íntimo de uma mulher com passado próspero (“My Mexican Bretzel“, de Nuria Giménez).

Dando continuidade ao trabalho iniciado em anteriores edições, o Porto/Post/Doc volta a propor um olhar sobre o cinema espanhol recente com quatro obras recentes: “Land Underwater“, de Maddi Barber, “Lúa vermella“, de Lois Patiño, “Work Or To Whom Does The World Belong“, de Elisa Cepedal e “Bendito Machine Saga“, de Jossie Malis. Com curadoria do realizador Eloy Domínguez Serén, um programa sobre cinema sueco, composto por: “The Great Adventure“, de Arne Sucksdorff, “They Call Us Misfits“, de Stefan Jarl e Jan Lindkvist, e “A Swedish Love Story“, de Roy Andersson.

Novidade ainda a parceria com o festival espanhol In-Edit, que aqui apresenta três documentários de música: “Niños Somos Todos“, de Sergi Cameron, “Autoluminescent: Rowland S. Howard“, de Lynn-Maree Milburn e Richard Lowenstein, e “Liberation Day“, de Morten Traavik e Ugis Olte. No Planetário do Porto, local de exibição mais inusitado do festival, passarão três filmes panorâmicos que convidam o espectador a mergulhar numa viagem de sensações. Para as famílias, duas sessões matutinas de fim-de-semana com um programa adaptado a crianças maiores de 4 anos.

“They Call Us Misfits”

Novidade este ano é também a 180 Media Academy, um programa de formação complementar para estudantes e jovens profissionais do sector media e audiovisual que procura explorar os novos paradigmas da produção contemporânea. Reunindo um conjunto de oradores não conformistas, esta apresentará um programa que pensa novas formas de contar histórias através de outras plataformas e meios de distribuição.

O programa tem uma componente presencial, a ter lugar sábado, dia 21 de novembro, completando-se, posteriormente online, entre os dias 24 e 27 de novembro de 2020 com uma série de masterclasses, conferências, projeções e desenvolvimento de projetos. O 180 Media Academy resulta de uma colaboração entre a plataforma media Canal180 e o festival de cinema Porto/Post/Doc. O programa completo pode ser consultado em: https://academy.180.pt.

Horários “Competição Internacional”

  • “A Nossa Terra, O Nosso Altar”, André Guiomar, Portugal, 2020, DOC, 77′ – Dia 23 de Novembro às 20:30 no Teatro Rivoli;
  • “Amor Omnia”, Yohei Yamakado, França, 2019, DOC, 11′ – Dia 23 de Novembro às 17:30 no Teatro Rivoli;
  • “Days of Cannibalism”, Teboho Edkins, França, África do Sul, Holanda, 2020, DOC, 78′ – Dia 24 de Novembro às 20:30 no Teatro Rivoli;
  • “Goodbye Mister Wong”, Kiyé Simon Luang, Laos, França, 2020, FIC, 106′ – Dia 26 de Novembro às 17:30 no Teatro Rivoli;
  • “My Mexican Bretzel”, Nuria Giménez, Espanha, 2019, FIC, 72′ – Dia 24 de Novembro às 17:30 no Teatro Rivoli;
  • “Of Land and Bread”, Ehab Tarabieh, Israel, 2019, DOC, 89′ – Dia 24 de Novembro às 15:00 no Teatro Rivoli;
  • “Partida”, Caco Ciocler, Brasil, 2019, DOC, 93′ – Dia 25 de Novembro às 20:30 no Teatro Rivoli;
  • “Piedra Sola”, Alejandro Telémaco Tarraf, Argentina, México, Qatar, Reino Unido, 2020, FIC, 72′ – Dia 25 de Novembro às 17:30 no Teatro Rivoli;
  • “Sandlines, The Story Of History”, Francis Alÿs, Iraque, 2019, FIC, 61′ – Dia 23 de Novembro às 15:00 no Teatro Rivoli;

Horários “Cinefiesta”

  • “Land Underwater”, Maddi Barber, Espanha, 2019, DOC, 50′ – Dia 25 de Novembro às 14:30 no Teatro Rivoli;
  • “Lúa vermella”, Lois Patiño, Espanha, 2019, FIC, 84′ – Dia 23 de Novembro às 14:30 no Teatro Rivoli;
  • “Work Or To Whom Does The World Belong”, Elisa Cepedal, Espanha, 2019, DOC, FIC, 65′ – Dia 24 de Novembro às 14:30 no Teatro Rivoli;
  • “Bendito Machine Saga”, Jossie Malis, Espanha, 2006, 2018, ANI, 54′ – Dia 25 de Novembro às 18:30 na Universidade Católica Portuguesa (UCP); Dia 26 de Novembro às 14:30 no Teatro Rivoli;

Horários “Carte Blanche Eloy Domínguez Serén”

  • “The Great Adventure”, Arne Sucksdorff, Suécia, 1953, DOC, 91′ – Dia 25 de Novembro às 15:00 no Teatro Rivoli; Dia 28 de Novembro às 14:30 no Teatro Rivoli;
  • “They Call Us Misfits”, Stefan Jarl, Jan Lindkvist, Suécia, 1968, DOC, 100′ – Dia 26 de Novembro às 15:00 no Teatro Rivoli; Dia 28 de Novembro às 17:00 no Teatro Rivoli;
  • “A Swedish Love Story”, Roy Andersson, Suécia, 1970, FIC, 115′ – Dia 27 de Novembro às 15:00 no Teatro Rivoli; Dia 28 de Novembro às 20:00 no Teatro Rivoli;

Horários “In-Edit”

  • “Autoluminescent: Rowland S. Howard, Lynn-Maree Milburn”, Richard Lowenstein, Austrália, 2011, DOC, 110′ – Dia 27 de Novembro às 18:00 no Passos Manuel;
  • “Liberation Day”, Morten Traavik, Ugis Olte, Letónia, Noruega, 2016, DOC, 100′ – Dia 26 de Novembro às 18:00 no Passos Manuel;
  • “Niños Somos Todos”, Sergi Cameron, Espanha, 2019, DOC, 95′ – Dia 27 de Novembro às 20:15 no Passos Manuel;

Podem aceder ao site oficial do Porto/Post/Doc aqui e ler a nossa entrevista ao Sérgio Gomes, da organização do festival, aqui!

Se queres que OBarrete continue ao mais alto nível e evolua para algo ainda maior, é a tua vez de poder participar com o pouco que seja. Clica aqui e junta-te à família!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: