OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Uma outra proposta para juntar às tantas outras que já foram oferecidas, “Coleções Focus Cinema Romeno” é mais uma sugestão da plataforma de streaming Filmin para os próximos dias, um encontro a marcar com oito títulos representantes da Roménia.

A plataforma apresenta atualmente uma coleção de ouro no que toca a filmes de excelente qualidade, organizando as películas em várias categorias que merecem a nossa atenção, que vão desde “A História do Cinema” até “Aconteceu Assim“. Para além de um inúmero leque de filmes de culto e de autor, este site brinda-nos com obras organizadas por temáticas e países.

Ao navegar e ao procurar algo para meu entretenimento, deparei-me com um buquê de filmes todos oriundos da Roménia, desde 2010 até 2019, oito histórias que nos permitem absorver um pouco da cultura deste país e nos concedem caminhos pelas ruas de Bucareste, até à descoberta da intimidade pessoal e dos amores juvenis.

Ao longo desta descoberta vamos ao encontro de filmes como “Mãe e Filho” (2013), de Calin Peter Netzer, uma obra que desenvolve temas envolvendo o existencialismo e o fanatismo que eleva o amor-maternal ao extremo. Ainda de Calin Peter Netzer, viajamos até uma narrativa entre dois apaixonados a viver uma relação intensa, “Ana, Meu Amor” (2017), vencedor do prémio Urso de Prata – Melhor Contribuição Artística do Festival de Berlim.

Aurora” (2010) é uma obra escrita, realizada e protagonizada por Cristi Puiu com uma nomeação no Festival de Cinema de Cannes, em 2010, que constrói o retrato de Viorel, de 42 anos, um homem que é preenchido por pensamentos pessimistas sucumbindo numa “história trágica”.

Ainda fazem parte desta antologia, obras como: “A Ilha dos Silvos” de Corneliu Porumboiu, uma comédia de 2019; “Tesouro” (2016) e Quando a Noite Cai em Bucareste ou Metabolismo” (2013) são também realizados por Corneliu Poromboiu e também estão disponíveis nesta secção da plataforma de streaming; “Não Me Toques” (2018), um drama de Adina Pintilie e vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim; e ainda “Autobiografia de Nicolae Ceausescu” (2010), de Andrei Ujica, uma obra que está colocada num plano do cinema documental, um filme histórico.

Todos estes títulos estão disponíveis para ver ou repetir, numa lista especial para conhecer um cinema diferente, igualmente agradável, oferecido por um país com uma cultura cinematográfica de excelência, “Da Roménia, com Amor”, na Filmin.

Maria Moura Baptista

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: