OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

Como muitas pessoas, ouvi falar de Ahmad Jamal pela primeira vez como a figura que teve uma influência decisiva em Miles Davis no início dos anos 50. Intuitivamente, a grande semelhança entre Davis e Jamal é que ambos tocam apenas uma nota quando outros músicos tocam três e, às vezes, não tocam, mas ficam satisfeitos com o silêncio no centro da música. Mas a grande surpresa é que Jamal e Davis são temperamentalmente desconectados.

Jamal não tem nenhuma da intensidade meditativa de Davis, a sua música é alegre; o seu piano toca e adora as notas altas, valorizando-as como se fossem uma colecção de pequenos e brilhantes animais de vidro. Jamal não tem o senso dramático de Davis, onde uma pausa na música deste último cria suspense, enquanto que para Jamal é uma diversão.

Gravada ao vivo em 16 de janeiro de 1958, esta sessão apresenta um trio de piano com ótimas performances de Vernel Fournier na bateria, Israel Crosby no baixo e Jamal no piano, cuja execução é excelente, sempre emocionante. Este álbum consiste apenas em standards de jazz, e todas as faixas, exceto Poinciana, duram cerca de dois a três minutos. Quanto à seleção musical, é claramente fácil de digerir, e uma das razões que justifica isso é o trio tocar num hotel. No entanto, existem alguns destaques. A faixa que abre o disco, But Not For Me, dá o que o ouvinte deve esperar do álbum, uma divertida e direta performance.

Ahmad Jamal

No Greater Love é curto, mas perfeito para casais românticos na plateia, os seus acordes e batidas leves proporcionam uma agradável atmosfera romântica. E, finalmente, Poinciana, a faixa mais longa do álbum com os seus oito minutos, tem um ritmo irresistível de up-beat e um piano leve. Tudo aqui é fantástico e impossível de não se dançar. No lado negativo, este álbum é bastante curto, com pouco menos de meia hora, e a sua total falta de originais pode ser uma decepção. Além disso, não há entusiasmo da audiência presente, apenas aplaudem formalmente no final de cada faixa, e essa atmosfera cool simplesmente não existe.

Concluindo, “At the Pershing: But Not for Me” é um bom álbum para quem quiser começar a sua jornada pelo mundo do jazz, porque, como “Kind of Blue”, há uma grande ênfase na melodia que atrai facilmente os ouvintes. É melódico e acessível, além de ser habilmente tocado. A execução de Ahmad Jamal no piano é agradável e divertida, e o restante do trio apresenta uma performance sólida. Este disco ao vivo pode ser um pouco sobrevalorizado, principalmente devido à enorme influência de Jamal em outros músicos como Miles Davis, mas ainda é uma adição útil para qualquer fã de jazz.

João Filipe

⭐⭐⭐

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: