OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

O verdadeiro poder,

Sempre que quiseres dançar

Estarei cá para te agarrar.

Salto de ramo em ramo,

Como um primata louco,

Rasgo folhas de papel

Onde irei escrever a tua sentença?

Algures um muro cai,

Foi a minha caneta a arrebentar.

Vamos dançar de novo,

Subir a tua escadaria.

Sou só mais um ator

À procura das tuas falas.

Talvez te queira – talvez sim

Diogo Passos

Pintura de Marc Chagall, “The Three Candles” (1940)

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: