OBarrete

Porque A Arte Somos Nós

“E se os mortos deixassem de estar mortos?“. Enquanto nos dias de hoje a ideia soa vulgar, no final da década de 1960 o vislumbre dos mortos-vivos era algo quase revolucionário. Quase, porque a ideia do zombie não era propriamente nova e tem inclusive uma origem menos sensacionalista do que aquela que o realizador e argumentista norte-americano George A. …

Continue reading

Desde o clássico “White Zombie“(1932) que diversos cineastas dedicaram a sua arte à alegoria e crítica sociocultural através do zombie. Nos calcanhares de um longo e rico legado, Bertand Bonello vem dar a sua contribuição ao subgénero de terror com “Zombi Child”, muito mais na veia de Jacques Tourneur do que George A. Romero. Isto é, com …

Continue reading